A MENTE E OS SEUS MISTÉRIOS NO OLHAR DO AUTOGERENCIAMENTO VIVENCIAL

A MENTE E OS SEUS MISTÉRIOS NO OLHAR DO AUTOGERENCIAMENTO VIVENCIAL

2 de novembro de 2019 Off Por Claudio Lima

Você sabe quem comanda a sua mente nessa viagem ao desconhecido??????

Há pessoas que acreditam que o comando da sua mente é feito através do pressuposto que dentro delas existem anjos e diabos que irão determinar o seu pensar, o seu agir, enfim o seu viver. São eles que escolhem e determinam que caminhos irão seguir, o do bem ou o do mau.

Para elas, o nosso destino está vinculado ao resultado desse confronto entre eles, onde o vencedor é que determinará que caminho iremos seguir. A nossa liberdade de escolha está refém do comando deles.

Nesse acreditar, não há como negar um ponto favorável: a nossa responsabilidade sobre os nossos desacertos, pode ser transferida para as nossas “tentações”, retirando de nós a responsabilidade sobre eles. O nosso único erro, nesse caso, foi o afastamento de Deus, fato este, que permitiu que o diabo assumisse e gerenciasse a nossa mente. Felizmente o mau não está em nós e sim na figura do diabo. Que bom!!!!

Entre ondas, tormentas e calmarias até que é apropriado, já que a transformação das nossas vidas só dependeria da expulsão do diabo das nossas mentes e o nosso retorno a Deus. Interessante, simples e rápido sem grandes complicações e sofrimentos e sem exigir de nós quaisquer autotransformações. O nosso livre arbítrio, aqui, significa viver ou não sobre as leis de Deus.

Por outro lado, também não há como negar, um ponto desfavorável: seremos resultados das suas vontades (dos anjos/diabos) e não das nossas. A nossa liberdade de escolha, fatalmente se tornará refém deles.

Já no olhar do Autogerenciamento Vivencial (AGV), o comando da nossa mente é um pouco mais complexo devido ao fato de estar vinculada ao nosso mundo psicológico, a nossa consciência e a qualidade das nossas escolhas. Sendo assim, é dependente da nossa capacidade de analisar e discernir que caminho seguir.

Nesse caso, a nossa mente é submissa ao nosso comando, somos nós que construímos e escolhemos o caminho a seguir.

Somos os gestores dos nossos livres arbítrios, logo, poderemos escolher entre, o da evolução, da autotransformação ou do caos, da estagnação, do sofrimento.

Nesse entendimento, a qualidade das nossas escolhas depende, sem nenhuma dúvida, do nosso nível de consciência, da nossa maturidade e saúde psicológica. Logo, é fundamental ter uma mente sã, aberta e consciente da sua responsabilidade.

Aqui o processo de autotransformação, é um pouco mais complexo, já que ele está vinculado a qualidade das nossas escolhas. O perigo, é que elas são vulneráveis aos nossos desequilíbrios e doenças psicológicas e ao que decidimos acreditar e ser. Logo, ela estará sempre sobre a ameaça de um colapso.

Já, em termos de responsabilidade, somos nós que criamos e damos vida as nossas “tentações”. Nesse sentido, somos totalmente responsáveis por todas as nossas atitudes, comportamentos e pensamentos assumidos. Nesse caso, não há como negar a nossa vulnerabilidade devido a falta de conhecimento, ao egocentrismo e ao desamor a si e ao outro, a imaturidade….

Lidar com essa imensa diversidade de escolhas exigirá de cada um de nós, estar em constante processo de autoconsciência e autorreflexão, ou seja, revisar e alterar as nossas crenças e verdades quando necessário.

Sobre o nosso comando consciente e reflexivo, a nossa mente terá condições de compreender, corrigir e superar as dificuldades que, porventura estejamos vivendo, mesmo que no início tenhamos dificuldades.

Enfim, apesar dos contratempos, a nossa vida é preciosa e o nosso desafio é encontrarmos, dentro de nós, propósitos para o nosso bem viver.

Para refletir.

Por que não podemos ser o único responsável pelas nossas escolhas?

Afinal quem comanda a sua mente? Diga! Não se esconda.

Autor: Cláudio de Oliveira Lima – Psicólogo – Idealizador e Especialista do Autogerenciamento Vivencial (AGV).