A INTERPRETAÇÃO PSICOLÓGICA E SEUS DESÍGNIOS NO OLHAR DO AUTOGERENCIAMENTO VIVENCIAL

A INTERPRETAÇÃO PSICOLÓGICA E SEUS DESÍGNIOS NO OLHAR DO AUTOGERENCIAMENTO VIVENCIAL

23 de maio de 2019 Off Por Claudio Lima

Já perceberam que o nosso processo de pensamento é binário? Certo/errado; fazer/não fazer; ser/não ser; perdoar/não perdoar; aceitar/não aceitar etc. Assim, o que nos diferencia das máquinas é a nossa liberdade de escolha, que embora restrita, transfere para nós a responsabilidade sobre elas. Daí a importância das nossas interpretações psicológicas e seus significados na hora de tomarmos decisões para as nossas vidas.

“Apreenderam que no mundo psicológico não há neutralidade.”

A interpretação psicológica, a deusa responsável por tecer o nosso destino, é um processo subjetivo, lógico, consciente e psicológico que precisa de um elemento instigador, para ter o seu início. Ela possui o intuito de organizar as informações fornecidas pela percepção psicológica, criar lógicas e atribuir sentidos psicológicos aos elementos instigadores das nossas vidas .

Através dela, construiremos os nossos entendimentos sobre o que nos acontecem nessa vida, dando, assim, significado a nossa maneira de reagir a eles. As nossas reações estarão aprisionadas ao significado psicológico dado por ela ao elemento instigador.

Outro ponto, depois de constituída, também, serve para “justificar” à nossa maneira de reagir ao que nos instiga. Sacaram o perigo!

É importante destacar que, enquanto o elemento instigador ainda não tiver a sua interpretação formada, a sua lógica constituída, poderá ser entendido de “n” maneiras. Muito cuidado com isso, pois “a forma que cada elemento instigador for interpretado e significado, determinará o modo que iremos vive-lo.”

Todavia, há algo importante para se destacar, em relação ao elemento instigador: quando o elemento instigador é constituído por um fato de acontecimento real (paralisia dos membros), nesse caso, só a interpretação e sua lógica podem ser mudadas. Já no caso de pertencer ao mundo psicológico (autorrejeição), poderemos mudá-lo, como a sua interpretação e a sua lógica.

É por meio dos motivos edificados por nós, que a nossa mente irá perceber e constituir as interpretações e suas lógicas sobre os elementos instigadores que nos envolvem. Embora as nossas interpretações sejam sempre coerentes com o que percebemos e acreditamos, logo, verdadeira, lógica, consciente para nós, porém, não há garantia de que não irão trazer consequências desastrosas para as nossas vidas.

Estarmos sempre com a nossa mente aberta é fundamental no nosso processo de autoconhecimento, autotransformação, no desenvolvimento da nossa maturidade psicológica, na aquisição de novos conhecimentos, caso contrário, as consequências psicológicas a advir das nossas interpretações e suas lógicas, poderão criar realidades psicológicas catastróficas para as nossas vidas.

Exemplo: posso interpretar “a morte de uma pessoa amada” (o elemento instigador), com uma lógica punitiva e viver em função dela.

Como é importante a nossa autogestão sobre as nossas interpretações, sobre os nossos desejos, sobre as nossas autopercepções, sobre as nossas autotransformações.

Enfim, em relação as nossas interpretações psicológicas, não há limite de criação pela mente humana, daí a importância da nossa liberdade de escolha, da nossa multiplicidade psicológica, do nosso livre arbítrio e da nossa maturidade e saúde psicológica e dos nossos conhecimentos cognitivos/vivenciais, no momento da sua construção.

       Autor: Cláudio de Oliveira Lima – Psicólogo – Idealizador e Especialista do Autogerenciamento Vivencial (AGV) e desenvolvedor de uma Psicologia com uma visão Quântica.